Não resisti, porque é tão bonito...Casal junto à 65 anos morre no mesmo dia...



Este mês fiz 7 anos de casada no dia em que o meu filho fez 7 anos. Claro que se somar todos os anos de ajuntamento em comum, temos 10 anos.
Ter um relacionamento é como embarcar numa grande aventura, igual aos ovos Kinder...we never know what´s inside.
E raros são os que sobrevivem hoje em dia, por mil e um motivos. Mas principalmente porque hoje é tudo mais descartável, porque nos cansamos mais depressa de partilhar, ou somente porque sim.
Eu não sou excepção...como em quase todas ralações existem altos e baixos, por agora prova superada!!!

Por isso tenho ainda uma visão romântica da coisa, acho bonito namorados que se conhecem na infância, pessoas que ficaram enamoradas à primeira vista.
Casamentos de longa data em que as pessoas ainda se adoram e partilham a vida.
Por isso quando leio noticias como esta...makes me wonder...it could happen to us???


Harold e Ruth Knapke casaram no dia 20 de Agosto de 1947, na cidade de Saint Henry, no Estado de Ohio (EUA). 
Pouco antes de completar 66 anos de casamento, os dois morreram numa casa de repouso, com uma diferença de 11 horas.
Familiares de Harold e Ruth contaram que o fim da sua história de amor reflectia a devoção entre os dois durante os 65 anos em que ficaram casados.
«Eu acho que todos nós concordamos que não foi uma coincidência», disse à ABC News Carol Romie, um dos seis filhos do casal. «Quando a minha mãe ficou doente, nós tentamos deixar claro para o meu pai que ela não ia sobreviver, e ele ficou bastante agitado por alguns dias, a princípio. Depois, ficou calmo, e acho que decidiu: 'Não, ela não vai sem mim.'»
Harold morreu no domingo, aos 91 anos, às 7:30. Ruth morreu às 18:30, aos 89 anos de idade. Os dois morreram no quarto em que viviam juntos há dois meses.
O casal criou os filhos em Fort Recovery, onde Harold trabalhou como professor, director e treinador numa escola, e Ruth trabalhou como secretária escolar.
Os dois tornam-se amigos «de correspondência» na 2ª Guerra Mundial, quando Harold conheceu o cunhado de Ruth, Steve, enquanto servia fora dos EUA. Harold veio a saber que Ruth vinha de uma cidade próxima à sua.
«O tio Steve sugeriu que ele enviasse cartas para ela, e assim eles começaram», disse Romie. «Essa é uma daquelas histórias de amor que não se vê nos filmes.»
Após a morte do casal, os seus seis filhos, 14 netos e oito bisnetos realizaram o enterro num cemitério de Fort Recovery. O cortejo fúnebre fez uma parada em frente ao imóvel onde a família morou, em homenagem ao desejo do casal de «voltar para casa» enquanto esteve na casa de repouso.

Histórias bonitas que não se encontram todos os dias...e nos fazem sonhar!!!

Share this:

CONVERSATION

2 Profissão Mães Comentaram!!!:

Desabafe o que lhe vai na Alma!