Sobre

@Profissão Mãe & "Miúscos" por  Carlos Vilas



--PROFISSÃO "MÃE"--
"Ana foi renovar a sua carta de condução. Pediram-lhe para informar qual era a sua profissão.
Ela hesitou, sem saber bem como se classificar
-"O que eu pergunto é se tem um trabalho", insistiu o funcionário.
-" Claro que tenho um trabalho", exclamou Ana. -"Sou mãe".

-"Nós não consideramos 'mãe' um trabalho. Vou colocar Dona de casa", disse o funcionário friamente.
Não voltei a lembrar-me desta história até ao dia em que me encontrei em situação idêntica...
A pessoa que me atendeu era obviamente uma funcionária de carreira, segura, eficiente, dona de um título sonante.
-"Qual é a sua ocupação?" Perguntou.
Não sei o que me fez dizer isto; as palavras simplesmente saltaram-me da boca para fora:
-"Sou Doutora em Desenvolvimento Infantil e em Relações Humanas."
A funcionária fez uma pausa, a caneta de tinta permanente a apontar para o ar e olhou-me como quem diz que não ouviu bem...
Eu repeti pausadamente,enfatizando as palavras mais significativas.
Então reparei, maravilhada, como ela ia escrevendo, com tinta preta, no questionário oficial.
Posso perguntar", disse-me ela com novo interesse, "o que faz exactamente?"
Calmamente, sem qualquer traço de agitação na voz, ouvi-me responder:
-"Desenvolvo um programa a longo prazo (qualquer mãe faz isso), em laboratório e no campo (normalmente eu teria dito dentro e fora de casa).
Sou responsável por uma equipa (a minha família) e já recebi quatro projectos (todas meninas). Trabalho em regime de dedicação exclusiva (alguma mulher discorda???), o grau de exigência é em nível de 14 horas por dia (para não dizer 24 horas).
Houve um crescente tom de respeito na voz da funcionária que acabou de preencher o formulário, se levantou e pessoalmente foi abrir-me a porta.
Quando cheguei a casa, com o título da minha carreira erguido, fui recebida pela minha equipa: - uma com 13 anos, outra com 7 e outra com 3.
Do andar de cima, pude ouvir o meu mais recente projecto (um bebé de seis meses), a testar uma nova tonalidade de voz.
Senti-me triunfante.
Maternidade... que carreira gloriosa!
Assim, as avós deviam ser chamadas "Doutora-Sénior em Desenvolvimento Infantil e em Relações Humanas".
As bisavós: "Doutora- Executiva-Sénior".
E as tias: "Doutora - Assistente".



Divirta-se a ser Mãe, esta é a sua próxima profissão para toda a Vida! E adivinhe? Garanto-lhe que não pode pedir a reforma e muito menos rescindir o contracto!

Sara , 34 anos, autora do Blog Profissão Mãe... mãe de dois a tempo inteiro, dona de casa desenrascada nas horas vagas, Empresária, Blogger, Criadora do Portal doBebé.com. Entre outras profissões...
Tenho um relacionamento amoroso e tempestuoso com malas e casacos!!!E tento não perder o meu lado Stylish depois de ter  embarcado na aventura de mudar de vida e viver no campo!!!



@Profissão Mãe & Miúscos por  Rosa Vilas




 Contactos






Share this:

CONVERSATION

3 Profissão Mães Comentaram!!!:

  1. Texto magnifico...quero partilhar...posso?
    Como gostava de ter essa na ideia qd me perguntam se continuo desempregada...ou quando comentam que eu sou um preguiçosa que fica em casa sem fazer nada!
    Tenho uma filha de 3 anos e fico frequentemente com outro com a mesma idade, sou casada, e o maridinho leva sempre a sua marmita para o trabalho, os miúdos são saudáveis, felizes e andam sempre ocupados (com as actividades q diariamente invento para eles). A casa anda sempre limpinha, com uma decoração infantil, claro está, que mais parece um jardim de infância onde moram dois crescidos! Ainda arranjo tempinho para os pais e amigos, e alguns trabalhos por conta própria (sou arquitecta!)
    Mas isso não é considerado trabalho, simplesmente vida!

    Só porque não é remunerado? Ah enganam-se, todos os dias recebo pelo menos um sorriso e uma birra, um abraço e um encontrão, e ao fim do dia, consolo-me com os olhos brilhantes de uma meninas feliz porque o paizinho chegou e o pode abraçar!
    Não há salário melhor...n enche barrigas, mas enche corações!

    ResponderEliminar
  2. Adorei! E sinceramente espero um dia, quando me deparar numa situação dessas, lembrar-me desse ou de outro título semelhante. Se não aceitam Mãe como profissão então arranjem-lhe outro título mas percebam que é de facto mais do que uma profissão, cuja remuneração não se conta mas sente-se e reflete-se na alma!

    ResponderEliminar

Desabafe o que lhe vai na Alma!