Testemunhos de Mães - as convulsões

Este será o primeiro post que coloco sobre testemunhos de Mamãs, que quiseram partilhar a sua história a propósito do tema Convulsões.


Obrigado a todas e um grande beijinho desta Mãe. O meu testemunho aqui.

O primeiro testemunho... Mamã Sofia Santos
Parei aqui por acaso mas vou contar o meu caso
Saiamos de casa para ir de fim de semana a Serra da Estrela, ainda na nossa rua oiço um som estranho olho para trás e vejo a minha filha de ano e meio de olhos muito abertos, boca semicerrada, grito para o meu marido parar o carro e chamar o 112, a custo tirei-a da cadeira pois o seu corpo estava hirto, foram os piores minutos da minha vida sem ter noção do que estava a acontecer ela não reagia a nada e eu (não sei porquê pensei que ela se estava a sufocar com alguma coisa) meti-lhe os dedos na boca que ela mordeu passados um minuto e meio sensivelmente ela começa a chorar muito mas não tinha reacção motora, chega a ambulância e a caminho do hospital o paramédico observava e fazia perguntas e diz-me que provavelmente foi uma convulsão febril e explicou-me que foi como se houvesse um curto-circuito no cérebro e tivesse que fazer um reset e ia levar algum tempo(pouco) até recuperar as funções. Chegados ao hospital a minha foi observada por as médicas, tinha 38º de febre, uma dose de brufen e fica em observação. Estava tudo bem a febre era devido ao principio de uma amigdalite. Aquilo é horrível de se viver, pensei e disse "ajudem-me que a minha filha está a morrer", a minha filha mais velha com 4 anos muito assustada, o meu marido em pânico atrás da ambulância. NA segunda vez já sabia o que estava a acontecer e fui de carro para o hospital(5 minutos de distância)ficou toda a noite em observação e receitaram-me o Stesolid, mandei um para a escola e andava sempre com outro na mala. A última convulsão foi no consultório do pediatra na consulta dos 4 anos. Nunca cheguei a dar o stesolid. Entretanto e graças a Deus não voltou a ter convulsões. Ainda foi seguida No HFX durante ano e meio sem nunca ter um convulsão no mês que teve alta deu-se a última. Beijos


O segundo testemunho... Mamã Conceição Nogueira
Gostaria de partilhar o episódio da convulsão febril que passei com o
meu filho Tiago, na altura, com cerca de 3 anos.
Estávamos a jantar, em casa dos meus pais e de repente olho para o
Tiago e vejo-o a olhar fixamente para a parede. Comecei a chamá-lo mas
ele não me respondia. Abanei-o e quando olho para ele, vejo os olhos a
revirarem-se. Pego nele e sempre a chamá-lo não tenho resposta nem
reacção da parte dele. Os lábios começam a ficar roxos e o corpo a
entesar. Sempre a chamá-lo, começo a molhar-lhe a testa, a cara, as
mãos... Não sabia o que fazer. Entretanto, começou a espumar da boca e
a língua a revirar. Meti-lhe os meus dedos na boca (agora sei que
nunca se deve fazer!!) e ele mordia-os com tanta força que ... eu fui
aguentando até não poder mais... Entretanto, o pai, entrou em pânico;
"- Eu vou buscar o carro e vamos para o Hospital", dizia ele. E eu, no
meio daquela situação toda, tive que tentar controlá-los, a ele e aos
meus pais que ficaram sem acção. Pedi ao meu pai para chamar uma
ambulância, que parecia ter demorado horas a chegar. A minha mãe ficou
com o meu filho mais novo ao colo. Lembrei-me que a vizinha do lado
era enfermeira e que talvez pudesse ajudar... foram chamá-la e então
puse-mo-lo de lado. Eu com ele sempre ao colo a chamá-lo e a
molhar-lhe a cara, a boca e ele começa a vir a si. Quando chegou a
ambulância já ele estava a reagir e a responder ao que lhe
perguntávamos. Foi um alivio!! Fomos de ambulância para o Hospital e
confirmaram que tinha sido uma convulsão febril. O facto de ter
acontecido uma vez não queria dizer que acontecesse novamente e,
realmente, nunca mais sucedeu. Graças a Deus!

Com o mais novo também já sucedeu uma situação idêntica, mas ele já
estava com febre. Estava na sala a ver televisão, sentado no chão e,
de repente, quando lá chego, vejo-o a olhar fixamente para o chão.
Começo a chamá-lo e ele nada! Pego nele, vou direta á casa de banho,
começo a molhá-lo, a despi-lo e ele começa a vir a si. Parece sempre
uma eternidade de tempo, mas devem ter sido uns 2 a 3 minutos. Começou
a responder a meti-o na banheira com água morna. Já estava mais
fresquinho! Meti-lhe um supositório (benu-ron) e a febre começou a
baixar.

Sempre que ficam com febre a atenção é sempre redobrada, devido a
estes episódios anteriores.

O que aconselho é tentarem manter a calma, o que não é nada fácil!!
Nunca ponham os vossos dedos na boca deles, pois estão sujeitos a
ficarem com os dedos cortados (como eu fiquei!!). Até hoje quando lhes
dou qualquer coisa á boca e que me trincam o dedo me arrepiu toda,
pois lembra-me aquela situação que espero que não volte a acontecer.
Ponham-nos de lado e tentem arrefecê-los, dando-lhes um banho de água
morna!!


O terceiro testemunho... Mamã Vânia Barreiras
A minha filha tinha cerca de 6 meses, tinha passado o dia com febre e à noite por volta da 1 da manhã a febre não baixava, pedi ao meu marido para ir buscar o termómetro (estava no piso inferior) e eu fiquei sentada na cama com a menina ao colo de repente ela ficou inerte, com o corpo "duro", a revirar os olhos, a ter uma espécie de arrepios estranhos, que duravam segundos paravam e voltavam a repetir e a gemer, chamei por ela e ela não reagia, chamei pelo meu marido que mal viu um desses "arrepios" vestiu-se pronto para ir para o hospital eu vi a temperatura dela e já estava na casa dos 40º. Assustada vesti-me também, embrulhei a menina num cobertor e saí para o hospital, quando cheguei lá já na triagem expliquei o que se passara e reponderam-me que com aquela temperatura era normal ter arrepios, foi para dentro onde voltaram a ver a temperatura, tiraram-lhe a roupa e esperamos horas para que a febre baixa-se e viemos para casa. Mais tarde na consulta de rotina com o pediatra ele ficou incrédulo com a forma como eu fora atendida, explicou-me o motivo das convulsões febris, quais os procedimentos a ter caso se voltasse a repetir, deu-me uma receita que nunca a cheguei a levantar na farmácia e até hoje ela tem sido uma criança saudável que depressa chega aos 40º de temperatura sem ninguém dar por nada.




Se quiser partilhar a sua história, sobre este ou outro tema envie para
a Mãe:blog.srp@gmail.com




                         

Siga a Mãe no Facebook
Siga a Mãe e as suas Sugestões no Pinterest.

Share this:

Comente

0 Profissão Mães Comentaram!!!:

Enviar um comentário

Desabafe o que lhe vai na Alma!