A educação dos nossos filhos...parte 1





|Pensamentos soltos|


Temo que o próximo elemento associado ao status além do melhor carro, o melhor iphone, a melhor casa de férias, o melhor emprego e etc seja a EDUCAÇÃO QUE DAMOS AOS NOSSOS FILHOS!!!

Tipo eu dou uma melhor educação que tu dás pq eu sigo o x e tu o y.


Pior achei uma falta de respeito num blog em que li o Drº Mário Cordeiro dizer isto do seu colega
  González   "Não perca tempo... felizmente há a liberdade de se dizer o que se pensa, incluindo bacoradas. Ainda bem... serve para ver que, mesmo com os nossos erros, inconsistências e incoerências, ainda somos bons pais porque estabelecemos regras, limites, mimo e afecto, prémios e castigos proporcionados, justos e adequados. A entrevista é, toda ela, um show-off de "anti-sistema", mas não há uma referência científica que ele invoque para suportar o que tão peremptoriamente afirma. Deve pensar que é um "Marinho e Pinto da pediatria"... Abraços e gaste as suas energias com guerras mais dignas..."

( a entrevista aqui )

E que mal tem ser-se anti sistema? Um YES MAN é coisa boa portanto...
Querem ver que o sistema está ele todo correcto? Quero ensinar o meu filho a pensar, a dar-lhe voz...

Depois é preciso provar cientificamente o que?
Todos os dias a Pediatrics vem mostrar que o que estava correcto ontem está mal hoje ( de uma forma exagerada, vá mas percebem o que eu digo).
É para o nosso bem é claro, mas continuamos a ser os ping pongs e a fazer o mesmo com os nossos filhos...
Bem eu sou mãe do meu filho sei o que é melhor para ele não?

Pois é Profissão Mães, fiquem atentas...ng se vá descabelar por aí...cada um dá a educação que deve dar aos seus filhos, seu eu não concordar, se o vizinho não concordar paciência...
O que é preciso é que se sintam tranquilas com o que estão a dar...sim é complicado não existem manuais...receitas milagrosas...mas existe amor e bom senso...ás vezes mt culpabilidade dentro de nós é certo...

Não vem nos livros, mas se neste percurso encontrarmos alguns que pensam assim, isso não será mau de todo...mudar algumas ideias que tomamos como certas só pq a sociedade assim no impinge não nos torna nem piores, nem melhores...torna-nos pais atentos. E não pais irresponsáveis como vi por aí escrito tb.


Cada Pediatra tem a sua teoria e nós pais tb temos a nossa...usar o qb da coisa pode ser uma boa formula de sucesso para este caminho de aventuras...







                                  Siga a Profissão Mãe nas Redes Sociais
Icon IconIconFollow Me on Pintereststumbleupon linkedin

ASSINE A NEWSLETTER DA MÃE!!! CONTEÚDO EXCLUSIVO!!! 
PASSATEMPOS PARA ASSINANTES!!E OUTRAS SURPRESAS!!!
Coloque o seu Email:

Delivered by FeedBurner

Share this:

CONVERSATION

5 Profissão Mães Comentaram!!!:

  1. O Mário Cordeiro é que teve uma atitude de Marinho Pinto, que tristeza...

    Ana

    ResponderEliminar
  2. Mas olha que isso de alguém ir buscar outra opinião para conseguir demonstrar que está certo na educação que tem dado, também me parece uma coisinha infantil...esse tipo do outro blog é um nadinha triste

    Mena

    ResponderEliminar
  3. Perdi toda a consideração por esse tipo!
    Pediatra? lolololo

    Rita

    ResponderEliminar
  4. Mudam os anos mudam as modas... com a Inês a coisa 'tinha de' ser feita de determinada maneira, com o Tomás, cinco anos depois, de outra completamente diferente... cheguei a mudar de pediatra porque esta queria que eu parasse a amamentação aos 12 meses, e como não o fiz, aos 18 começou a fazer retaliações... e hoje, a coisa é completamente ao contrário...
    Sempre defendi que a única coisa que permanece e é certa é o que nos sentimos como tal. Se eu acho que devo amamentar o meu filho até aos três anos, faço-o (e fiz). Se eu acho que é mais prático que durmam comigo (por casa da amamentação, por ex) pois dormiam. Nunca os deixei chorar porque me angustiava ouvir. Nunca bati nos meus filhos, e sempre fui mais de conversar e fazer entender (embora os gritos saíssem muitas vezes). Sempre tive em conta que eram criaturas a aprender a viver em sociedade e que o meu papel não era punir, mas ajudar. Nunca obriguei nenhum dos dois a comer (o que deixava a minha sogra furibunda).
    Acho que o dr Gonzalez teria sido o pediatra ideal para acompanhar os meus filhos, e subscrevo na íntegra o que diz na entrevista.
    Quanto ao dr.Mário Cordeiro... olha, não estava à espera. No melhor pano cai a nódoa, e há algumas que nem com lixívia pura saem...

    ResponderEliminar
  5. Eu penso que a educação tem que se adequar a cada criança. Cada um tem a sua personalidade.

    ResponderEliminar

Desabafe o que lhe vai na Alma!