Tenho Medo de morrer...


Era Dia do Pai...o F. rapaz na casa dos quarenta tinha feito anos na segunda dia 17 de Março , levanta-se como sempre todos os dias para ir para um trabalho que abomina, num local onde não gosta de estar, (depois de mais uma noite de conversas no
facebook com os seus amigos, a grande maioria estão muito longe do local onde ele vive, as ilhas), toma o pequeno almoço, pensa na vida que leva...isto tudo ao som das bandas sonoras da sua vida, vai até ao quarto para se vestir...e sucumbe (imagino que naquele misto de aflição, a vida toda lhe passe à frente dos olhos...mas de frente para trás, até sentir o seu último respirar nos braços da sua mãe, que ele adorava, "a única mulher bela e realmente amada do seu malfadado  mundo", ela que falecera anos antes e que lhe deixará uma amargura e vazio na sua vida.

O Pai esse ...nesse seu Dia Especial, perante aquela triste cena de um filme irreal...consegue ligar para as urgências...pensando que a sua Vida acabará...ninguém merece, perder a mulher, o filho...
Muito menos neste dia especial.

Cruel é a palavra que me ocorre para toda esta história, triste...

O F faleceu  dia 19 de Março pela manhã, estaria na casa dos 40 e morreu de ataque cardíaco fulminante.
Paz à tua alma incompreendida e dorida...


Esta foi a sua última mensagem deixada no facebook

"17/3 · Editado
Everyone will eventually leave you...

- I feel in every ray. 
You drift in every sky... trail me like cloud.
So open up the Sky, molded by your hands... Memories made to fear... ""

A música que acompanhava a mensagem era Karnnos - Silence...and Stars , falling...

E parece mesmo uma mensagem de despedida...e isso é assustador...


Todos neste meio pequeno alternativo, frequentador de um local chamado Juke Box, Limbos e afins...temos uma história para contar do F.
O rapaz que gostava de beijar toda a gente fazendo disso um prazer que o deliciava a ele e chocava e irritava outros...
Nunca tive um grupo de amigos fixo, neste meio...entrava sozinha num local, conhecia toda a gente, falava e saía na maioria das vezes sozinha, conheço-os a todos por alguma história e falava a todos, nem que fosse um olá! Depois veio o tempo do irc e muitos se falavam mais por lá, do que na vida real.
Nesses tempos nunca fui "amiga" do F, dizia-lhe olá, trocava-mos meia dúzia de palavras no irc e nada mais.

Os anos passaram, o facebook trouxe o esplendor de darmos com toda a gente, de sentirmos a nostalgia que só acaba qd falamos com alguém que "esteve lá".
E foi assim que começamos a falar, a falar muito, tínhamos meia dúzia de coisas em comum e ele era um tagarela revolucionário, banido do facebook, montes de vezes...mas sempre que era banido adicionava depois o meu perfil, por isso posso dizer que éramos amigos sim, agora éramos amigos...

Porque tenho medo de morrer?
Naquele tempo da adolescência, talvez até quase os meus 27 anos nunca tive medo de morrer. Dizia sempre que fosse algo bonito (como se a morte pudesse se bonita alguma vez...) e não doloroso.
O tempo passou...casei, tive filhos, fiz projectos...mas a palavra chave é tive filhos...

E doí-me só de pensar sucumbir por alguma coisa qualquer e ficar sem os ver, sem os sentir...eu não aguento e eles pequeninos não aguentariam...sim tenho muito medo de morrer...muito mesmo e não quero!


                                     

Share this:

CONVERSATION

2 Profissão Mães Comentaram!!!:

  1. Terrível... Mesmo... Não pelo facto de morrer em si, que por si só já é assustador, mas pelo facto de deixarmos os nossos pimpolhos e sabermos que no seu coração seremos insubstituíveis... Esta semana a minha filha de 7 anos chega a casa e diz-me: "Mãe, morreu a mãe do T. (coleguinha da sala)... Tu não vais morrer, pois não?" Fiquei sem palavras, com um nó na garganta, sem conseguir deixar de pensar na angústia com que aquela pobre mãe não terá deixado este mundo, sabendo que deixava este pequeno ser de 7 anos, que não poderia voltar a abraçá-lo, a beijá-lo... Que dor enorme não deve ser... Maior que morte... Acredito que sim...

    ResponderEliminar

Desabafe o que lhe vai na Alma!